fbpx
23 Mai 2022 Marketing Deixe o seu comentário

A religião dos ‘likes’ nas Redes Sociais

Chloe Davison, de 19 anos, tinha o sonho de trabalhar como modelo e arrasava nos ‘likes’ conseguidos nas redes sociais. A jovem cometeu suicídio após foto não alcançar ‘likes’ suficientes.

Podia ser o tema para um filmes ou para uma série, mas a história de Chloe Davison é real, e podes conhecer mais aqui.

Quando a Loading Marketing Consulting iniciou, em 2017, o trabalho que desenvolve, não estava previsto chegar a 2022 e poder perceber que nem tudo é cor-de-rosa. Hoje discuti, com uns amigos, a necessidade de aprovação que existe nas redes sociais. E que ela só existe se uma publicação tiver muitos likes e muitos comentários e, a falta deles, pode levar a frustração de quem os partilha e, como vimos, até à morte.

“Tenho poucos likes, por isso termino o contrato.”

Mas deixem-me contar-vos uma história, sem dar nomes, claro. Há uns anos fechamos um acordo para desenvolver uma rede social, para um novo cliente. Como sabemos, quando começamos a trabalhar, do início, uma rede, temos que criar fiabilidade e angariar os seguidores. Devo salientar que era um negócio com um nicho bastante pequeno. Mas vamos a luta.

Criamos conteúdo, tanto em texto como em design. Desenvolvemos uma estratégia para ajudar a chegar ao público-alvo. E ao longo de alguns meses fomos angariando os ‘likes’ de quem realmente se interessava pelo negócio. Eram muitos? NÃO. Era o público-alvo que está a conhecer uma nova página? SIM.

Mas chegamos a uma reunião com o responsável que nos disse que precisávamos divulgar iniciativas que não fossem diretamente relacionadas com o negócio. Tentamos rebater e explicar que não fazia sentido, ele insistiu, então, mais uma vez, arranjamos uma estratégia onde pudéssemos encaixar essa necessidade que o cliente pediu.

Ora bem, passado um tempo, voltamos a reunir, e o nosso cliente disse que não estava muito satisfeito com os resultados alcançados, já que a página tinha poucos ‘likes’. Explicamos que não se devia deixar de influenciar por esse indicador, mostrando outros bem mais importantes. Neste caso, os ‘likes’ ganharam a batalha!

Perdemos um cliente, mas hoje, se fomos até a página em questão, vemos que existe muito pó, e degradação da página. Sem conteúdo, com muitas partilhas que não acrescentam valor e um público que acompanha a página que não é mais que o “amigo que segue a página por favor”.

Sejam realistas e não se deixem influenciar por ‘likes’ nem por histórias cor-de-rosa

Atualmente, existe um grande desejo de aparecer nas redes sociais. Então deixem-me questionar: Estamos realmente tão felizes quanto mostramos em nosso perfil? Esta questão surge do conceito de “felicidade”, talvez fictícia, mostrada continuamente nas redes.

Se navegarmos por qualquer rede social, encontraremos posts de amigos a viaja ao redor do mundo a bordo de sorrisos ou talvez uma foto desse amigo – com quem não conversamos por semanas – com a sua namorada tremendamente feliz e apaixonada como se fosse um filme.

Estamos ligados à internet, e as redes sociais fazem parte do nosso dia a dia. Se tens um negócio, não desmotives por não teres ‘likes’. Trabalha, cria um planeamento, tem uma estratégia a longo prazo e vais ver que é possível ter resultados.

Por isso pensa nas tuas redes e trabalha com elas. Se precisares de ajuda é fácil: contacta a Loading Marketing Consulting, aqui.

Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.